Cartas a um jovem matemático

Esses dias terminei de ler um livro muito bacana sobre a carreira de matemático, o “Letters to a Young Mathematician“, de Ian Stewart. O objetivo primário do livro é dar um insight sobre as tradições, costumes, métodos e cultura dos matemáticos para quem pretende seguir uma carreira nessa área (e de acordo com uma pesquisa feita nos EUA, a melhor carreira é a de matemático…). Também serve como uma boa atualização do “A Mathematician’s Apology“, de G. H. Hardy, já que esse foi escrito lá pelos anos 40…

Tudo em um tom bem humorado e instrutivo. E achei bacana alguns pontos que destacarei aqui:

1 – A matemática é realmente universal? Só porque aqui na Terra conseguimos contar pedras não significa necessariamente que em um planeta gasoso uma forma de vida fluida que vive numa atmosfera densa também consiga contar pedras. Pode ser que essa tal forma fluida desenvolva bem algum tipo de aritmética baseada em volumes e fluidos e não em nada sólido. Afinal, como é que vai contar coisas se vive numa atmosfera gasosa, não é? É válido mesmo tentar se comunicar com outras civilizações extraterrestres mostrando 1, 2, 3, … para eles?

2 – Por causa do ponto 1, não conseguirmos imaginar algo não significa que não possa existir.

3 – Provas matemáticas é que nem a arte de contar histórias para outros matemáticos. Mas histórias bem contadas e de modo preciso e nada de divagações filosóficas, algo do tipo: o cachorro é preto. Ponto. E não: ah, não é bem exatamente preto e sim um tom meio cinzento dependendo do ângulo em que a luz incide e blablabla.

4 – Cuidado quando for apresentar algum seminário ou coisa do tipo. Ir sempre prevenida(o), conhecer o terreno e não acabar tendo sua palestra sendo lembrada pela posteridade como “o cara que escreveu por engano na parede do projetor” ou “o cara que entrou na cozinha confundindo a saída do auditório e disparou o alarme de emergência”. Eu ri muito nessa parte das histórias hilárias de gafes cometidas =)

Esses são apenas alguns dos pontos que o Stewart (uma espécie de faz-tudo talentoso na área de matemática) destacou. Há muitas outras coisas bem interessantes e deixo as descobertas a você, se chegar a lê-lo =)

Anúncios

Sobre giseli

Eu: Engenheira, sedenta por bits e chocólatra assumida. Além de ser fã de IAs, principalmente Wintermute e HAL9000
Esse post foi publicado em Livros, Matemática e marcado , . Guardar link permanente.

8 respostas para Cartas a um jovem matemático

  1. Fernando F. disse:

    Bom… mais um da sua lista para a minha lista. =)

  2. Camila Fernandes disse:

    “O cara que escreveu por engano na parede do projetor…”

    Huahahahahahh!

  3. Eric Novello disse:

    Tive um professor que correu em direção à parede para segurar a transparência que caía lá do outro lado rs. Beijos!

  4. giseli disse:

    Camila e Eric: pois é, quem nunca cometeu mancadas nas apresentações, hein? Eu adoro ler sobre isso quando escrevem sobre história da matemática e sempre há referências sobre mancadas…
    Afinal, os cientistas são humanos também e erram =P

  5. Pingback: CyberGi » Lista de leituras de 2009

  6. renato disse:

    Amiga

    Que livro você está lendo?

    É formada em Matemática? (Se for, me diga por qual universidade)

    A “Hipótese de Riemann” se constitui num dos maiores enigmas matemáticos da atualidade. Por quê? (Indique um livro que fale a respeito deste assunto).
    Gostaria de ler um livro _ escrito em português, de preferência – que fale a respeito da História da Matemática (sequencia de Fibonacci, problema de Hilbert). Que livros/autores a amiga me indicaria?

    Em Matemática, um sistema axiomático consistente não pode provar sua própria consistência. Por quê?

    Os zeros não-triviais da função zeta de Riemann pertencem todos à “linha crítica”. Por quê?

    O que os matemáticos designam de “linha crítica”?

    Renato Monteiro
    Curitiba – Paraná
    E-mail: renmonklo@gmail.com

    • giseli disse:

      Puxa, quantas perguntas, Renato! 🙂
      Seguinte, não sou formada em matemática, sou apenas uma entusiasta da área… e já faz tempo que escrevi esse post (e o blog tá inativo hehe). Sobre história da matemática, tem muitos livros por aí, tem o “Introdução à história da matemática”, da editora Unicamp, muito bacana. Agora sobre a hipótese de Riemann, em português, só tem mesmo o “A música dos números primos”, a maioria é em inglês mesmo… Quanto ao resto das perguntas, prefiro não me arriscar a dar uma resposta errônea, já que tô enferrujada ^^ Você poderia perguntar para um matemático ou então uma pesquisa no Google…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s