Steampunk – Histórias de Um Passado Extraordinário

Já ouviu falar de steampunk? Se não, a explicação curta: ficção ambientada na era vitoriana, com o uso da tecnologia das máquinas a vapor alçada ao seu maior desenvolvimento possível – isto é: o que poderia acontecer se tivéssemos ido além dos navios e trens a vapor e se as máquinas mecânicas de Babbage tivessem vingado?
Uma explicação mais longa e bem mais detalhada foi feita pela Ana Cristina aqui. Um excelente post para situar os desavisados =)

Capa da coletânea steam brazuca

Capa da coletânea steam brazuca

Esses dias uma coletânea steampunk me surpreendeu. Melhor ainda, uma coletânea brasileira! Algumas histórias são situadas na época do Brasil Império, quando os trens a vapor eram bem comuns por aqui. Mas há também histórias bacanas de outras partes do mundo.
Comentarei rapidinho sobre cada um dos contos:

O Assalto ao Trem Pagador, de Gianpaolo Celli – Apesar de ter achado um pouco confusa algumas descrições de cenas, a história é bem legal e dá uma causa diferente e interessante à Guerra Franco-Prussiana.

Uma Breve História da Maquinidade, de Fábio Fernandes – Fantástico conto steam adaptado de “The Boulton-Watt-Frankenstein Company” (também escrito pelo Fábio), onde ele expande a história de Victor Frankenstein, que não para no primeiro experimento apenas, também se volta às máquinas e não imagina suas consequências futuras.

A Flor do Estrume, de Antônio Luiz M. C. Costa – A história é legal, se passa numa linha alternativa onde o Brasil já é uma potência respeitável, comparável à Inglaterra. A trama se trata basicamente da medicina andando de mãos dadas com o avanço tecnológico a vapor. Eu só achei a linguagem um tanto rebuscada demais e tem vez que a leitura não flui legal. O autor podia ter pegado mais leve na linguagem. Fora essa parte, o conto é bem bacana de se ler.

A Música das Esferas, de Alexandre Lancaster – Conto leve e bem divertido de se ler. Até se parece com uma HQ bacana ambientada na era do Brasil Imperial. Narra sobre as aventuras e problemas que um adolescente inventor tem que resolver. Soube há um tempinho que está em projeto (ou foi lançado já?) uma HQ justamente sobre o herói e personagem principal do conto.

O Plano de Robida: Un Voyage Extraordinaire, de Roberto de Sousa Causo – Conto com várias referências a personagens reais e ficcionais, muito bacana de se ler. Eu achei legal ver Landell de Moura e Santos Dumont em ação, coisa raríssima de se ver na ficção. A trama flui bem, com engenhos a là Verne e aprimorados com o máximo que a tecnologia a vapor pudesse oferecer, eu só esperava um pouco mais do final.

O Dobrão de Prata, de Cláudio Villa – Conto com leves pitadas de suspense/terror. Apesar de eu não ter lido Lovecraft (ainda!), dá para perceber sua influência na trama. Tudo isso em um ambiente steampunk, claro, onde o personagem conta com o auxílio da tecnologia de exploração do mar, já um pouco mais avançada graças ao vapor.

Uma Vida Possível Atrás das Barricadas, de Jacques Barcia – Não sei porque, mas quando li esse conto, me lembrei de Perdido Street Station. Apesar de ter me estranhado bem no começo, a coisa melhorou no decorrer da leitura, com personagens máquinas-quase-humanas e seres esquisitos metidos em uma revolução. Só achei alguns pontos do conto meio obscuros e podiam ser melhor desenvolvidos e descritos. Mas o final compensa, meio que leva a um clímax.

Cidade Phantástica, de Romeu Martins – Conto ambientado na época de D. Pedro II (bem mais liberal) e onde não houve a Guerra do Paraguai. É um faroeste brazuca pulp permeado de referências a vários personagens ficcionais e reais, mas sem descambar em clichês típicos. O autor reinventou várias ideias e personagens.

Por um Fio, de Flávio Medeiros – História de dois grandes homens em tempos de guerra e em lados opostos, na era vitoriana e onde é comum o uso de balões e de submergíveis. A trama é muito bem contada e o autor ainda soube manter um certo suspense no calor da batalha.

Gostei de praticamente todos os contos, apesar dos percalços de alguns. A ilustração da capa ficou ótima e reflete bem o espírito vaporoso. Eu só acho que a revisão de alguns contos meio que deixou a desejar… mas acontece.

Recomendável sua leitura! =D Pode ser adquirida aqui no site da Tarja.

Anúncios

Sobre giseli

Eu: Engenheira, sedenta por bits e chocólatra assumida. Além de ser fã de IAs, principalmente Wintermute e HAL9000
Esse post foi publicado em Contos, Ficção, Livros e marcado , . Guardar link permanente.

27 respostas para Steampunk – Histórias de Um Passado Extraordinário

  1. Jorge disse:

    Boa resenha, Gi ! Dá para ver que essa corrente Steampunk está bem divesificada aqui no Brasil.

  2. Romeu Martins disse:

    Opa!

    Bela resenha, Gi. Muito justa e equilibrada. De fato, a revisão criou erros novos no meu texto, por exemplo… Mas acontece.

    Assim que eu voltar a ativa (eu e o Hal 1,99) quero publicar tua resenha no meu steamblog

    Beijão!

  3. Alexandre disse:

    Obrigado, Gi. É a primeira impressão fora do círculo de beta-readers que apareceu sobre meu conto e fico feliz de que tenha sido divertido de se ler. 🙂

    • giseli disse:

      Bem que eu queria me demorar mais em cada conto, mas aí ia virar um tratado e não uma resenha =P Mas Alexandre, tu mandou bem sim no conto, seu personagem tem futuro! Vai ter mais histórias dele, espero? =D

  4. Fabio disse:

    Legal, Gi! Obrigado pelo comentário ao meu conto! 🙂

  5. Alexandre disse:

    Vão ter histórias novas dele sim. Um toque só: É república velha, nesse caso. Afinal, as mentes conservadoras estão muito bem instaladas e é em um cenário como esse que um personagem precisa ser do contra. 😉

  6. Ludimila disse:

    Gostei da resenha, Gi! Espero que continue resenhando assim.

  7. Huguinho disse:

    Curti a resenha, Gi.
    Parabéns!
    😉

  8. Bruno Accioly disse:

    Ótimo ver o gênero se espalhando por aí!

    Muito bacana e honesta a resenha.

    Pessoalmente gostei do conto do Gianpaolo Celli.

    O do Fábio Fernandes, como eu já supunha, estava magnífico!

    Comecei há pouco a ler o terceiro conto.

    Dá uma passada no site do Conselho SteamPunk para dar uma olhada!

    Abraço,
    Bruno Accioly

  9. Fabio disse:

    Bruno, só o seu comentário me deixa muito feliz! Muito obrigado!

    Abraço forte!!

  10. Camila Fernandes disse:

    Resenha objetiva e sem frescura, é assim que eu gosto! Parabéns, Gi!

  11. Pingback: Todas as Guerras « CyberGi

  12. Jacques Barcia disse:

    Só agora vi a resenha, Gi. Obrigado pelo comentário. 🙂

  13. Pingback: CyberGi » Lista de leituras de 2009

  14. Pingback: Retrospectiva Crítica – Antologias, Coletâneas e Ebooks (2) « Ficção Científica e Afins

  15. Pingback: CyberGi » Comentários sobre as leituras de 2009

  16. Pingback: Steampunkrockhardcore « Nerdquest e outras maneiras de ganhar XP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s