Ativação e o primeiro dia

Pessoal, alguns de vocês já devem saber que fiz a cirurgia do implante coclear. E quem não sabia, bom, fica sabendo agora então. Pois bem, 39 dias depois da cirurgia, finalmente ativaram o meu implante coclear! =D É que tem um tempo de espera de 30 dias no mínimo, para completa cicatrização… Imagina passar um mês esperando por isso!

É bem esquisita mesmo a sensação auditiva no ouvido implantado. Ainda mais porque eu não escutava nada nesse ouvido e agora ele está pegando algumas coisas que sei que são sons, mas ainda não consigo interpretá-los. Imagina o seguinte… ouve “du” num ouvido (o que usa aparelho auditivo) e no outro (o que usa o implante), “te”. O resultado disso? Um nó no cérebro! Pode parecer coisa de doido, mas é apenas o lado inativo da audição aprendendo… É desorientador no começo, mas é divertido =P

Um amigo me perguntou se minha percepção sensorial era só de som mesmo, ou tinha algo mais. Explico… por exemplo: tem um caso pouco relacionado com o meu, que eu achei bacana (daqui até o final do parágrafo são palavras do Murilo =P): o da Hellen Keller, que era cega e surda. Um dia a professora de Helen escreveu “água” na palma de uma das mãos, e colocou a outra mão embaixo da torneira, e então a ficha caiu e ela percebeu que a sensação numa mão era equivalente a sensação na outra, e saiu querendo saber o nome de todos os objetos da casa. O resultado? Ela virou autora de livros, palestrante e ativista política!

Respondendo a essa pergunta, eu diria que é só som mesmo. Se bem que tem sim um “efeito” a mais, mas muito difícil de colocar em palavras. Vou só dizer que, dependendo de alguns sons e de sua intensidade, minha cabeça fica meio “transcendente”. Com aparelho auditivo o efeito era raro, e agora com o implante, frequente. Um dia explico direito…

Hoje também fiquei fuçando no kit do implante coclear que vem com um moooonte de coisas, tipo, acessórios (cabo para conectar a mp3, a tv, fones de ouvido), baterias extras e peças sobressalentes. Além de uma documentação detalhada, claro. E um cartãozinho dizendo que sou ciborgue, já que terei que mostrar esse cartão caso dispare alarmes por aí =)

Por ora é só, agora é ir se adaptando. No primeiro mês testarei 4 programas no processador de fala, um a cada semana (com volume crescente). Vamos ver o que acontece! 😀

Anúncios

Sobre giseli

Eu: Engenheira, sedenta por bits e chocólatra assumida. Além de ser fã de IAs, principalmente Wintermute e HAL9000
Esse post foi publicado em Implante coclear e marcado . Guardar link permanente.

18 respostas para Ativação e o primeiro dia

  1. Romeu Martins disse:

    Ciborgue de carteirinha 😉

    Quero ler mais posts e depoimentos sobre essa tua experiência sinestésica, Gi

  2. Lúcio disse:

    Legal, Gi! E, de quebra, além do implante no ouvido, você ainda ganhou uma série de experiências bem interessantes. Dá até pra escrever um livro!

    Bjs. e boa sorte
    L.

  3. Ghad Arddhu disse:

    Parabéns Gi, vc está provando que o CYBERPUNK é agora rs…

    Aguardamos mais impressões em breve 😀

  4. Huguinho disse:

    Força, Giônica!!!
    Estamos juntos com você nessa!
    Skynet rules! huahuahua!
    Beijão!

  5. Giseli Ramos disse:

    @Romeu Martins – Depois mostro a carteirinha =D Tá, sinestesia seria a palavra para uma percepção sensorial diferenciada, mas nem tanto.

    @Lúcio – Um livro? Não sei se chego a tanto rs, mas certamente virão mais textos do tipo!

    @Ghad Arddhu – Desde que li Neuromancer o meu sonho de consumo era ter algum apetrecho cyberpunk. Agora eu tenho um =P

  6. Flávio Medeiros disse:

    Mil vivas à nova Mulher Biônica!!!!!!!

  7. André disse:

    Que coisa mais genial. Você não está feliz por viver no século em que estamos? Parabéns pela audição extra. Gaste com Beethoven 🙂

  8. O que eu tinha pra falar, falei no e-mail. Mas tinha que deixar aqui: :DDDDD

    Bjos Gi!

  9. Danilo disse:

    AEEEEE Gi! Agora cuidado com os caçadores de ciborges!
    Não esqueça de fazer mais posts sobre essa sua nova experiência!

  10. Danilo Egêa disse:

    CyberGi, de fato agora! 🙂

  11. Roner Dawson disse:

    Ola Giseli,
    que bom saber do seu IC e das suas sensacoes ao ativar o aparelhinho e tornar-se, oficialmente, mais uma cyborg. Bem vinda ao time, rsrsrs… Acabo de me lembrar de minhas sensacoes ha 10 anos atras, qdo fiz meu IC.
    De la pra cá, meu “ouvido bionico” so fez melhorar minha qualidade de vida e minhas mais novas sensacoes sonoras sao ouvir minha filhota de 1a8m falar e falar e falar…
    E vc, em seu super completo blog, acaba de me ajudar, pois eu procurava o medico Dr. Walther Bianchini aqui em Campinas, pra dar uma olhada no meu chip, e o Google me apontou para o seu blog como referencial. E com o logo do FIC e tudo, que chic (sou um dos moderadores do FIC, mas tou meio escondidinho ultimamente).
    Parabens!!! Continue esta sua deliciosa aventura sonora e quem sabe um dia vamos nos encontrar por ae pra um papo cibernético, no mundo real ou virtual (em 5 de dezembro teremos o tradicional “Almoço do FIC”, em Jundiai-SP. Vamos??)
    Abracao e, de novo, obrigado pela ajuda.

    Roner Dawson
    Nucleus 24M + Freedom
    Campinas-SP

  12. Giseli Ramos disse:

    Oi @Roner Dawson ! Opa, bom saber que meu blog foi útil para você! 🙂 Quanto ao almoço, não sei ainda se vou… mas quero tentar ^^. Se não for desta vez, certamente haverá outras oportunidades de papo! Obrigada pela visita!

  13. Roner Dawson disse:

    Otimo, faça tentativas entao?
    Onde mora?
    Como faço pra falar com vc de outra forma? MSN, orkut, mail? Ou so aqui mesmo?
    Moro em Campinas, mas sou mineiro… e sou presidente (por enquanto) da ADAP, a associacao que ajuda implantados do Brasil inteiro na manutencao dos IC.
    Faça contato, please.
    Abracos.

  14. Jorge disse:

    =******************
    Cyb3rG1 4 ever !!!!

  15. Aurora disse:

    WOW, Gi! Espero que suas aventuras sonoras sejam maravilhosas e agradáveis. Beijos!

  16. Ricardo França disse:

    Aí, Gi.

    Muito legal você compartilhar tuas experiências conosco, reles humanos trouxas e limitados, rsrsrs.

    Você (ou mesmo só um especialista com senhas ou permissão especial) consegue futucar nos parâmetros das funções de conversão? Talvez isso ajudasse na aproximação da interpretação dos inputs sensórios entre os dois ouvidos. De qualquer forma tua rede neural é de boa finesse e ainda podes rearranjar muitas vias neurais pra equalizar as informações.

    Grande sugestão a do André, mas por mim prefiro Bach e os barrocos (e principalmente quaisquer quartetos de corda, pois os sons destes concertos costumam ter timbres mais “limpos” o que pode facilitar o sincronismo e o reaprendizado). Dái então você pode ir num conceto de rock com o tio Ivo numa boa, né?

  17. Giseli Ramos disse:

    Valeu @Jorge e @Aurora ! =)

    @Ricardo França , vou considerar sua sugestão. Apesar de que atualmente não consiga diferenciar um Beethoven de um Bach ou de outro compositor qualquer, vou praticar bastante para sacar as diferenças.
    E como assim futucar nos parâmetros? Isso não pode ser feito stand-alone e sim com fonos pros, que fazem o mapeamento. Eu posso dar palpites sim no mapeamento, dando sugestões de melhorias, oras =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s