Mitos do implante coclear

Vez ou outra tenho que explicar de novo algumas coisas para as pessoas sobre o que o implante coclear não é. E também o que se deve esperar do implante nos primeiros meses após a ativação.

Pois bem, o processo de aprendizado e de adaptação leva vários meses, não é nas primeiras sessões com a fono que já vou aprender a tirar 100% de proveito do implante. O cérebro ainda tem que aprender o novo protocolo de comunicação entre o implante e a parte que processa a audição no cérebro.

Continuarei usando a leitura labial sim, principalmente em ambientes barulhentos, mas é claro que o input extra de sons vai ajudar na compreensão, com o tempo.

Quando estava pesquisando para pegar a fonte de que implantes cocleares não tornam a pessoa um pára-raios ambulante, me deparei com um texto bem interessante sobre o que o implante coclear é e o que não é. Inspirada pelo texto, vou destacar os pontos sobre o que o implante coclear NÃO é:

  • O implante coclear não te transforma em um morcego com audição aguçada ou na Mulher Biônica (ou Terminator), ouvindo o silvo de cobras a 500 metros.
  • O implante não cura e nem “arruma” a surdez! Apenas fornecem uma maneira de perceber os sons. Quando se desliga o implante, não se ouve sons.
  • A habilidade de localizar os sons não se aprende da noite pro dia.
  • O implantado não se torna um pára-raios ambulante. NÃO mesmo! Então não precisam ficar fazendo notas mentais do tipo: “em tempestades, ficar longe da Gi” como um amigo meu me disse 😛 Claro que se eu estiver no alto de uma torre segurando uma haste de metal e berrando loucamente para os raios, podem ficar longe. Mas não vai ser por causa do implante não. Trovoadas podem dar ligeiras interferências eletromagnéticas, mas nada que um desligamento temporário do implante não resolva, até passar.
  • Vocês vão ter que continuar repetindo coisas para mim. Tá, vou falar menos “hein?” e a compreensão vai melhorar com o tempo, mas não terei audição cristalina como as águas do Pacífico…
  • Não tenho entrada USB nem outro tipo de plug no implante. A parte externa do implante se fixa à parte interna por meio de um ímã. E se comunicam por ondas rádio. Sem sangue e nem tomadas à la Matrix no meio.
  • Os eletrodos do implante coclear ficam na cóclea, parte do ouvido interno. E é só, não tem fiozinhos no cérebro (quem me dera…).
  • Eu sou desastrada por natureza. Mas eu já era, antes de fazer o implante 🙂 Então, fazer o implante não afeta o sistema de equilíbrio (temporariamente logo após a cirurgia pode até ser verdade) e não faz as pessoas serem mais desastradas. E caso o equilíbrio seja afetado, são exceções à regra.
  • O implante coclear não vai impedir a prática de atividades esportivas. Tá, esportes como ninjustu ou outros que envolvam pancadas diretas na cabeça não são recomendáveis. Mas são poucos os esportes a se evitar oras. E correr é um ótimo exercício!

Enfim, espero ter ajudado a esclarecer a cabeça de algumas pessoas com esse post. Sugestões e correções são bem-vindas.

Finalizando, cada implantado tem uma experiência diferente, única, portanto, difícil de reproduzir 🙂

Fontes:
Cochlear Implants: Myths and Realities
What a Cochlear Implant is NOT and what it IS

Anúncios

Sobre giseli

Eu: Engenheira, sedenta por bits e chocólatra assumida. Além de ser fã de IAs, principalmente Wintermute e HAL9000
Esse post foi publicado em Implante coclear e marcado . Guardar link permanente.

13 respostas para Mitos do implante coclear

  1. André disse:

    “# O implante coclear não te transforma em um morcego com audição aguçada ou na Mulher Biônica (ou Terminator), ouvindo o silvo de cobras a 500 metros.”

    Putz, que coisa mais sem graça! hehehehe, brincadeira, brincadeira.

  2. Pingback: uberVU - social comments

  3. Aline disse:

    Gi!! Tempo q não nos falamos! Fico feliz em saber que você fez (ou fará? Não tô por dentro!) essa “adaptação”, espero que traga os resultados que você espera!
    Sorte, viu?
    Tô longe, tô quietinha, mas inda sou sua amiga! Se precisar, só gritar e eu saio da toca!
    🙂
    Bju!

  4. André T. disse:

    @Giseli Ramos
    Vai dizer que virar uma Demolidora (ainda melhor, por não ser cega) não seria divertido? 🙂

  5. Astrowar disse:

    Mas tem Bluetooth né ?
    Tudo fica melhor com Bluetooth ! rsrsrs

  6. Mila F disse:

    Não tem USB? Aaaaaaah.

    Post bastante objetivo e esclarecedor, Gi. Quem sabe assim a gente para de te fazer perguntas bobas. Ah, pensando bem… NÃO. Rs!

  7. Giseli Ramos disse:

    @André T. – Seria divertido sim, oras! =D

    @Astrowar – Ainda não tem =(

    @Mila F – Olha, é bom continuar a fazer perguntas, afinal, elas dão material para novos posts!

  8. Lak disse:

    Olá, estava fuçando sobre o IC na net e cai aqui por acaso. Ri bastante com esse post, porque como usuária do IC, também já tive que responder perguntas desse porte milhares de vezes hehehehe
    Adorei seu senso de humor e paciência pra fazer um post sobre essas perguntinhas simpáticas.
    Beijocas

  9. Eduarda disse:

    Olá, tenho um amigo que tem perda profunda da audição nas duas orelhas a causa foi meningite que ele teve quando pequeno. Ele já foi a São Paulo há 7 anos atrás, fez todos os exames e disseram que ele não poderia fazer o IC pois só os quem tem perda total poderiam ser transplantados. Gostaria de saber como vc conseguiu fazer, em qual hospital.. nós somos do Rio de Janeiro. Obrigada!
    Se poder, me mande um e-mail… abraços Eduarda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s