Momento de debug

Ciborgues também têm seus momentos de debugging. O blog ficou às moscas, mas é por um bom motivo, um instrumento astronômico prestes a ser finalizado e pretendo falar mais dele futuramente =D

Teve uma época que eu não me achava capaz para amizades. Mas depois aprendi que a tal arte da amizade não é tão complicada, só precisando ter em mente que o primeiro passo é ser seu próprio melhor amigo, antes de tudo.

Ralei muito e cometi muitos erros estúpidos com algumas ótimas pessoas, mas mais cedo ou mais tarde acaba aprendendo a lição (com algumas perdas no caminho). Se bem que lá no fundo, vez ou outra aparece, lurking in the darkness (a língua portuguesa que me perdoe, mas o inglês nos fornece algumas belas frases), o arrependimento e a esperança irracional de existir viagem no tempo para voltar atrás, porque se me perguntassem agora se eu faria novamente tudo igual, eu responderia: não, não faria nada igual =) Se bem que aí não dá para saber se ia aprender mesmo a lição.

Pensei em tudo isso, motivada por uma bela reflexão da Camila Fernandes, onde reproduzo alguns trechos abaixo:

“…

Tudo isso já estava aqui quando nasci e permanecerá quando eu me for,
Inalterado pela minha passagem,
Indiferente à minha alegria, à minha dor.
Há um mundo inteiro lá fora esperando ser desvendado
Enquanto eu examino meu microuniverso particular,
Onde os problemas parecem imensos e os limites, instransponíveis.

Para o mundo, meus problemas diários importam menos que a poeira no vento.
O cisco que arde em meus olhos não faz com que ele pare de girar.
A primavera virá ainda que eu insista no inverno.
O mundo é alheio a mim.
Eu não preciso ser alheia a ele.
A escolha é minha.

Abra os olhos,
Há tanto a se ver,
Tantas coisas maiores que eu e você.
Talvez você não possa mudar o mundo.
Mas ele certamente pode transformar você.

E nós somos vento:
Nossa natureza é flanar.”

Aí vi que tamos de passagem e o presente está aí para ser aproveitado, então, como diria o Johnnie Walker, keep walking and be your own best friend! Pronto, debug finalizado e alguns códigos mentais passados a limpo 🙂

Anúncios

Sobre giseli

Eu: Engenheira, sedenta por bits e chocólatra assumida. Além de ser fã de IAs, principalmente Wintermute e HAL9000
Esse post foi publicado em sem categoria. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Momento de debug

  1. Mila F disse:

    “…só precisando ter em mente que o primeiro passo é ser seu próprio melhor amigo, antes de tudo.”

    Falou tudo, Gi! E obrigada pela menção ao meu textinho. Fico feliz em pensar que ele pode ter te causado um efeito benéfico. 😉

  2. Jorge disse:

    Fala CyberGi,
    mas a vida é assim mesmo, a gente só aprende errando… o grande lance é a gente não repetir os mesmos erros sempre 😀 !

    Bom ver você de volta ao seu blog e saber que você está tendo sucesso no seu projeto,

    Grande abraço,
    Jorge

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s